Lauro: “vamo, vamo Inter”

maio 14, 2009

 Inter não foi Inter no Rio. Mas tem volta.

Andrei Andrade

Numa jornada de pouca inspiração dos principais jogadores colorados, coube ao goleiro Lauro ser o protagonista da noite em que mais de 50 mil torcedores assistiram a Inter e Flamengo, no Maracanã. Ao garantir, com defesa salvadora no primeiro tempo, o empate em 0x0, deu ao Inter a possibilidade de garantir a classificação com vitória simples no Beira-Rio.

O mau lançamento de D’Alessandro para Nilmar no primeiro lance do jogo foi o prenúncio de que a noite não teria a magia da tarde do último domingo, quando, contra o Corinthians no Pacaembu, Nilmar foi Maradona. Quem começou atacando foi o Flamengo, que assustou duas vezes em cabeceios de Everton e Kleberson dentro da área colorada. Aos 16 minutos, Ronaldo Angelim teve a melhor chance de gol do primeiro tempo. Após confusão na área, disparou um chute à queima-roupa que obrigou Lauro a realizar um milagre do tamanho do Maracanã, mandando a bola pra escanteio.

Preocupado com o ataque colorado, Cuca privilegiou a marcação em D’Alessandro. Escalou o volante Toró para marcá-lo, e o papel foi bem cumprido no primeiro tempo. E com o argentino bem marcado e atuando distante dos atacantes, Taison e Nilmar pouco apareceram e não concluíram a gol nos primeiros 45 minutos. A única oportunidade do Inter foi aos 21, quando D’Ale cobrou falta e Bruno bateu roupa. No rebote, Nilmar chegou alguns décimos de segundo atrasado e o goleiro afastou de soco.

No segundo tempo, a tônica do jogo foi a mesma. O Flamengo atacava, com dupla de ataque renovada, pelo menos nos nomes dos jogadores, mas com pouca efetividade. As melhores chances saíram com Toró, arriscando de longe, e Kleberson, em chute que passou rente à trave. Com a entrada de Alecsandro e Andrezinho, no lugar de Taison e D’Alessandro, ambos de atuações insossas, o clube gaúcho finalmente entrou no jogo. Criou as melhores oportunidades de gol no último quarto da partida. Andrezinho, em cobrança de falta aos 25 e em chute na trave aos 45, seguido de grande defesa de Bruno no rebote, tiraram pela primeira vez o gosto de vitória que o empate dava à torcida.

Para o jogo de volta, quarta-feira, 13, no Beira-Rio, o Inter não irá contar com Bolívar e Magrão, suspensos. Já o Flamengo aguarda pelo atacante Adriano, nome que certamente não sai da cabeça dos rubro-negros a cada bola que cai nos pés de seus atacantes. Antes do confronto decisivo, o clube gaúcho tem encontro com o Palmeiras de Wanderlei Luxemburgo, quarta-feira, no Beira-Rio, com a missão maior de recuperar o bom futebol.

Andrei Andrade

Anúncios